terça-feira, 4 de março de 2014

Filomena Teixeira escreve carta ao filho, Rui Pedro



Faz hoje, terça-feira, 16 anos que Rui Pedro desapareceu. Desde então, a mãe nunca desistiu de procurar a verdade sobre o aconteceu naquele dia. Para assinalar a data, usou um Facebook para deixar uma mensagem ao filho. E escreveu-lhe uma extensa carta.




"Carta de uma mãe ao filho desaparecido.

Meu filho, faz amanhã 16 anos que não te vejo, e depois deste tempo todo ainda espero por ti! Espero e esperarei até que me digam algo de ti! Este tempo todo imagino-te crescendo, tornando-te um homem,e eu aqui parada no tempo, á tua espera! Nunca deixarei de te esperar!!! De uma forma ou de outra, os dias sucedem-se, muitos Já partiram, outros nasceram e cresceram enquanto estiveste fora...outros vão nascer breve, sabias? Há tanta coisa para te dizer, tantas promessas a cumprir que não vão chegar o resto dos meus dias para os realizar...volta, estamos aqui todos á tua espera...tal como naquele fatídico dia 4/03/1998...Se não quiseres falar basta um abraço, tu sabes dar tão bem abraços! e beijos pequeninos...bem sei que estás crescido, mas a mim não vais negar?! Tenho tentado tudo para suportar a tua ausência...tudo mesmo!!! Ás vezes digo a mim própria que é um pesadelo e que vou acordar a qualquer momento e tu estás aqui...depois abro os olhos e a realidade atordoa-me os sentidos! NÃO ESTÁS! e não posso fazer nada!!!!

Sabes, já nem rezo, olho para o vazio e mentalmente pergunto por ti?! Já nem sei quem sou, ou no que me tornei!!!Um fardo para uns...uma lunática para outros! Dizem que sou forte?! Quando eu sou tão frágil...imagina a tua irmã o que tem de suportar?! E ser a filha mais maravilhosa que alguém poderia ter! Porque é nisso que ela se tornou Pedro, num ser humano espantoso! Tens de ter orgulho nela!Vês filho, o que tenho para te dizer não chega uma carta...Como faço para comunicar contigo? A tua irmã está á distancia de um telefonema, basta-me saber que está bem! contigo faria igual, só quero que sejam felizes! É pedir muito filho?

Quando puderes juras que me respondes? Eu continuo aqui à espera..

Um Abraço do tamanho do mundo, da tua mãe que te adora e não sabe o que fazer sem ti?!

P.s. Estou a escrever-te do teu quarto, o pai acabou de entrar, ele trabalha muito, e sente muito também a tua falta, só não sabemos como te dizer!? Daí a carta, desculpa se é muito longa, mas juro que se tu vieres eu não te canso! Eu calo-me e basta-me o teu olhar no meu.

Adoro-te! Mãe."


Fonte: DN online, 04-3-2014

2 comentários:

  1. o meu maior gosto, era um dia ter a noticia, que esta mãe consegui realizar o seu maior gosto era ter o seu filho ao seu lado, força mãe lutadora

    ResponderEliminar